Menu

Rádio Maranata Gospel.
A rádio que ilumina a sua alma.
Erechim - RS - Brasil.

Especialidade de Nós e Amarras - Parte 1

06 SET 2017
06 de Setembro de 2017

1. Definir os seguintes termos:

a) seio ou laçada – o nó corrediço é o que representa melhor a laçada. Sua principal característica é o fato de que, quando a extremidade é puxada, o nó se desfará, desde que não haja objeto dentro do laço.

b) ponta corrediça ou vivo – é a ponta com a qual formamos o nó.

c) corda restante ou ponta fixa – parte do cabo que não é usada como ponta de trabalho.

d) nó superior – nó principal dado no momento em que se realiza a amarra.

e) alça de azelha ou laçada com nó – nó simples que forma uma alça

f) volta ou laço – toda vez que a corda envolve completamente um objeto voltando a estar próxima de si mesma novamente.

g) curva ou dobra – formação paralela da corda, aplicada a qualquer parte dela.

h) amarra – utilizada para fazer móveis de acampamento com madeiras e cordas.

i) união de cordas – junção de cordas através de dobras, e não das pontas (fixa ou vivo).

j) chicote ou ponta de trabalho – parte da corda que é utilizada no manuseio para fazer o nó.

 

2. Conhecer os cuidados para conservação de cordas.

Toda a corda tem sua vida útil, para se colocar a vida por "um fio" deve-se ter certeza que a corda está em condições de sustentar a pessoa. A corda deve ser armazenada adequadamente, sem nós e ambiente bom para sua conservação. Se uma corda passar de sua validade (informe-se da validade de sua corda) não arrisque em usá-la para rapel e coisas do tipo, utilize apenas para transportar materiais e coisas que, se ela quebrar, não tenha perigo.

·         Conserve sua corda limpa: Grãos de terra e areia são extremamente abrasivos para as cordas. Tente mantê-la fora do chão. Evite pisar na corda, este ato favorece a penetração da sujeira na alma da corda.

·         Limpeza correta: Lave a corda em água fria com sabão neutro (nunca detergente). Enxágüe abundantemente e seque ao ar. Nunca use alvejantes e máquina de secar. Guarde a corda solta, sem nós, em uma bolsa quando não estiver em uso, longe do calor, luz do sol e produtos químicos.

·         Vida Útil da corda: A vida útil de uma corda não pode ser definida pelo tempo de uso. Ela depende de vários fatores como grau de cuidado e manutenção, freqüência do uso, tipo de equipamentos que foram utilizados em conjunto, velocidade de descida em rapel, tipo e intensidade da carga, abrasão física, degradação química, exposição a raios ultravioleta, tipo de clima etc. Independentemente do tempo de uso, uma corda deve ser posta de lado quando verificada uma ação considerável de abrasão, sofrer dano localizado na capa, submetida a um severo choque, suspeita de contaminação química ou de qualquer outra natureza. Para evitar acidentes, a corda deve passar por rigorosa vistoria sempre antes de ser usada.

 

3. Descrever a diferença entre a corda estática e dinâmica.

Nas cordas estáticas, os fios da alma são lisos, dando-lhe a elasticidade natural do Nylon (1 ou 2% quando submetido ao peso médio de uma pessoa). Já nas cordas dinâmicas os fios são um conjunto de cordinhas torcidas ou trançadas e este é o segredo para a absorção de choques, com a elasticidade de cerca de 6 a 10%, ao peso de uma pessoa normal.

A corda estática não tem elasticidade, o que não é desejável numa escalada, onde a pessoa pode cair e com o impacto da queda com a corda, pode quebrar ossos. Já com a corda dinâmica, a elasticidade minimiza o risco. Já num transporte de carga, a corda estática é melhor justamente por não ter elasticidade, o que é indesejável nesta situação.

Voltar


Tenha você também a sua rádio